Emily VanCamp Brasil

Emily VanCamp sobre o retorno de Sharon Carter em The Falcon and The Winter Soldier

Emily VanCamp sobre o retorno de Sharon Carter em The Falcon and The Winter Soldier

Matéria publicada pela Variety

Por Adam B. Vary

Emily VanCamp sobre o retorno de Sharon Carter em ‘Falcon and Winter Soldier’ e o misterioso Mercador do Poder.

A última vez que Emily VanCamp apareceu na Marvel Cinematic Universe como a ex agente S.H.I.E.L.D. Sharon Carter, ela estava ajudando Steve Rogers (Chris Evans) ilegalmente em “Captain America: Civil War” de 2016 e roubando um beijo dele. As ações de Sharon a forçam a fugir; ela não retorna para “Avengers: Infinity War” ou “Avengers: Endgame“. VanCamp nunca esperava que ela aparecesse no MCU novamente.

Enquanto filmava a série médica da Fox “The Resident”, no entanto, a atriz de 34 anos recebeu uma ligação perguntando se ela estava interessada em reprisar Sharon Carter na série do Disney Plus “The Falcon and The Winter Soldier”, estrelada por ela, compatriotas Anthony Mackie (como Sam Wilson) e Sebastian Stan (como Bucky Barnes).

“Incrível, quando eles ligam, você sempre atende”, diz VanCamp.

Em 2014, “Captain America: The Winter Soldier” e “Civil War”, Sharon é uma jovem agente idealista que está sempre disposta a fazer a coisa certa, ela é sobrinha da agente da S.H.I.E.L.D. (e Marvel) lenda, Peggy Carter, afinal. Mas quando a encontramos novamente no episódio 3 de “FAWS”, intitulado “Mercador”, Sharon é uma mulher mudada. Ela não pensa em atirar em uma série de capangas quando se lança para resgatar Sam e Bucky na nação insular (fictícia) de Madripoor, onde Sharon está enfurnada desde a “Civil War“. Ela zomba do idealismo de Sam, dizendo a ele: “Você sabe que toda essa coisa de herói é uma piada, certo?” Ela mora em uma cobertura chique que funciona como uma vitrine para grandes obras de arte roubadas. E ela está curiosamente bem conectada dentro da rede de vilania de Madripoor, tanto que alguns começaram a especular que Sharon poderia ser o ainda não identificado Grande Mau da temporada, o Mercador do Poder.

Compreensivelmente, VanCamp não poderia estragar completamente se Sharon é de fato o cérebro por trás da proliferação repentina de super soldados em “FAWS“. Mas ela teve alguns destaques reveladores sobre sua personagem, bem como sobre como era voltar ao MCU depois de tantos anos longe.

Qual foi a sensação de ser convidada para interpretar Sharon Carter?

Excelente! Eu estava pensando sobre isso outro dia e percebi que já faz cerca de oito anos desde que comecei essa jornada no MCU, o que é uma loucura. É incrível voltar a entrar neste novo meio, porque com os filmes, você está tentando encaixar tantos personagens em duas horas, e com o streaming, uma versão de seis horas deste (programa), você pode dizer a história com um pouco mais de profundidade.

Sempre parecia que havia muito para explorar. A última vez que a vimos, ela beijou o Capitão América e depois desapareceu.

Eu sei! Houve uma certa reação contra isso. Com Sharon, estava sempre tentando encaixá-la e esses filmes são muito grandes, e é completamente compreensível. Para ver quem ela se tornou ao longo deste longo período de tempo, e independente do Capitão América como o conhecemos, é realmente interessante para mim. A intriga para mim era ver quem é Sharon agora.

Você mencionou a reação a esse beijo. O que você achou disso?

Quero dizer, olhe, você tem que rir. Algumas dessas histórias funcionam e outras não. Mas, você sabe, eu achei um filme incrível. É apenas uma daquelas coisas.

Pessoalmente, achei que a química entre você e Chris Evans era bastante evidente. Fiquei um pouco surpreso com a forma como as pessoas se sentiram fortemente a respeito.

Sim, acho que todos nós estávamos. Quer dizer, certamente fizemos o nosso melhor. E eu acho que uma das melhores coisas que saiu dessa cena, para ser honesta, com essa dinâmica incrível entre Sam e Bucky. Você realmente tem esse vislumbre da dinâmica de camaradagem do Falcão e do Soldado Invernal. Você quer ver mais disso, e nós podemos ver, o que é fantástico.

Como especificamente a Marvel apresentou Sharon em “Falcon and the Winter Soldier” para você?

Quando [o produtor executivo] Nate Moore ligou para apresentar a ideia, o que adoro é que ele também está nessa jornada e acho que teve uma perspectiva muito semelhante em relação ao que vimos e não vimos para Sharon. Porque, obviamente, ela teve que estar fugindo. Não sabemos onde ela esteve. Todas essas ideias malucas para explorar.

Foi surpreendente ver como Sharon ficou desiludida desde a “Civil War”. Como você desenvolveu para si mesma como ela chegou a esse ponto específico?

Por meio de muitas conversas, porque poderia ter sido qualquer coisa. O que sabemos é que ela sacrificou muito pela causa. Quando ela está fugindo, não sabemos onde ela esteve, mas certamente você pode imaginar que haveria algum tipo de, você sabe, quero dizer, como posso dizer? Há um pouco mais de vantagem em Sharon do que jamais vimos. Ela não é mais aquela jovem agente de olhos arregalados. Ela é um pouco áspera nas bordas. Descobrimos exatamente o que ela teve que fazer para estar onde está agora e sobreviver? Não. Mas temos a sensação de que nem sempre foi fácil e que os sacrifícios que ela fez nem sempre valeram a pena para ela. Foi muito legal ver aquele chip em seu ombro que nunca vimos antes.

É uma abordagem bem diferente para Sharon, que eu acho que nunca chegou a ser tão sombria nos quadrinhos. Ela sempre foi uma personagem benfeitora de várias maneiras.

E é aí que você confia na Marvel no MCU, que é diferente dos quadrinhos. Eles dão a você esta Bíblia para o seu personagem das diferentes versões do personagem de todas as diferentes histórias em quadrinhos. Isso te dá um ponto de partida, mas realmente, a coisa bonita é que eles permitem que você crie sua própria versão do personagem dentro do MCU, e eles fazem isso com a história também.

Você tem essa ideia fundamental de quem é o personagem, e eu tentei implementar nos filmes quem era Sharon, aquele profundo respeito, e senso de integridade e lealdade que ela tem. Então, tirando isso depois de ter sido injustiçada em sua mente, colocar isso em sua cabeça foi apenas uma ideia muito divertida para mim. Ainda faltam alguns episódios para ver aonde vamos com isso, mas foi simplesmente fascinante que tenhamos tomado um caminho completamente diferente com ela.

Quando você percebeu que tinha muito mais ação a fazer do que nos filmes?

Isso foi falado enquanto os roteiros estavam sendo escritos, tipo, “Bem, você vai ter que fazer um treinamento de luta. Temos algumas sequências para você que serão um pouco mais difíceis do que você já fez antes.” Isso sempre me anima. E o treinamento foi definitivamente muito mais intenso do que nunca. Tínhamos a melhor equipe de dublês e eles cuidaram muito de nós e nos prepararam de verdade para esses momentos. No episódio 3, há uma sequência de luta maluca de Sharon. Ela está meio que sozinha. Foi muito divertido lidar com isso. Nessa versão do que estávamos fazendo, você não pode realmente se esconder atrás de armas ou superpoderes. É uma luta realmente corajosa, e foi muito legal aprender todas essas novas técnicas e chutar alguns traseiros.

Quanto treinamento você teve que fazer?

Tanto quanto eu poderia me encaixar. Eu estava filmando “The Resident” ao mesmo tempo. Felizmente, ambos filmaram em Atlanta. O ótimo é que a Marvel tem um palco especial de dublês por conta própria. Eles estão todos lá todos os dias fazendo coreografias, ensinando e treinando, e meio que deixam aberto para quando você puder estar lá. Então, sempre que eu não estava filmando “Falcon and the Winter Soldier” ou “The Resident“, eu estaria lá tanto quanto pudesse. Passamos por várias versões diferentes de como ela luta agora contra quem ela era como agente. É divertido descobrir como dar a ela essa vantagem crua, mas também mostrar que ela é uma lutadora treinada. Há uma mistura de brigas de rua desconexas com sua formação técnica. Não havia como evitar o tempo. Por mais que você possa ver apenas pequenos vislumbres no ar, você tem que estar pronto, ou então você realmente terá seu traseiro chutado.

O seriado ainda não revelou a identidade de um dos principais vilões, o Mercador do Poder. Então, o que você diria às pessoas que perceberam vários sinais no episódio desta semana de que o Mercador do Poder pode ser Sharon?

Bem, essa é uma boa pergunta. Quer dizer, o Mercador do Poder pode ser qualquer um. Além disso, existem vários personagens que ainda não foram vistos. Então, quer dizer, eu não posso dizer nada.

Sei que você não pode estragar nada, mas tenho certeza de que, ao ler o roteiro deste episódio, você também está vendo os possíveis sinais de quem Sharon poderia ser. Como atriz, como você descobre como metabolizar tudo isso em sua performance?

Acho que para Sharon, o maior objetivo, como você vê no episódio 3 e continuaremos a ver, é que ela quer ser perdoada. Ela está fugindo. Já é suficiente. Ela já se sacrificou o suficiente. E se estou falando sobre ler os roteiros em sequência, esse é o objetivo principal dela, e com razão. Ela vem desta linhagem de agentes e tem um tremendo amor por sua vida que ela teve, e agora ela está presa neste tipo de terra de pirata, e fazendo coisas que provavelmente não queria fazer. Então, eu acho que é seu principal objetivo, voltar a alguma aparência da vida que ela teve, se isso for possível. Quer dizer, essa foi minha maior chance. Este é o seu ingresso. Ela vê (Sam e Bucky) e, por mais que haja muitos motivos pelos quais ela gostaria de atacar e arruinar suas vidas, eles também são uma passagem para ela ter sua vida de volta. Então, essa é uma dinâmica interessante de ver também.

Tenho que perguntar sobre um programa diferente em que você participou, “Revenge”. Falava-se de um possível renascimento da série com um novo personagem que seria guiado em sua trama de vingança por alguém da série original. Você gostaria de revisitar esse mundo também?

Já foi falado, e eu sei que eles iriam reviver talvez de uma maneira diferente, e eu estava super apoiando e animada por isso também. Só não sei se eles realmente encontraram uma maneira que faz sentido ou que eles realmente querem ainda. Mas, ouça, quero dizer, se eu aprendi alguma coisa nesta indústria é: nunca diga nunca. Eu sinto que, você sabe, em termos de Emily Thorne / Amanda Clarke, a história dela realmente chegou ao fim. Mas, novamente, você nunca sabe. Quer dizer, eu honestamente não pensei que interpretaria Sharon de novo, e aqui estou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *